Pesquisa de site

Como alterar os nomes dos rótulos das partições Linux em EXT4/EXT3/EXT2 e trocar


Uma Partição é um espaço criado em um disco físico que pode ser usado para instalar um sistema operacional ou apenas atuar como espaço de armazenamento para arquivos e outros dados dos usuários. Cada partição é criada diretamente no disco rígido ou no disco externo anexado ao sistema com endereço de bloco inicial e final identificando a quantidade de espaço que ocupa na unidade.

Embora você possa criar o número n de partições que desejar, um sistema Linux identifica no máximo 16 partições que podem ser associadas a qualquer SCSI, SATA, PATA ou disco rígido virtual. Para identificar as partições acima, um sistema Linux tem sua própria convenção geral. Essa convenção está no formato '/dev/sdxn' ou '/dev/vdxn' onde 'x' é alfabeto e 'n' um número.

Aqui, '/dev' é o diretório no sistema de arquivos '/' que contém os arquivos associados a cada um dos dispositivos conectados a um sistema Linux. Depois disso, 's' identifica uma unidade SATA, SCSI ou PATA e 'v' é para discos virtuais em máquinas baseadas em KVM. O próximo alfabeto, ou seja, 'd' é um acrônimo para dispositivo e, finalmente, o próximo alfabeto identifica a unidade conectada.

Estrutura e caminhos importantes do diretório do sistema de arquivos do Linux explicados

Se o seu sistema tiver 4 discos rígidos, você poderá encontrar listagens para: /dev/sda, /dev/sdb, /dev/sdc, /dev/sdd na saída do comando fdisk quando a opção 'l' é invocada.

Depois do alfabeto vem o número. Um disco rígido típico identifica 4 partições primárias, das quais também pode haver uma partição estendida, que novamente contém múltiplas partições lógicas. Nesse caso, a primeira partição primária, que geralmente é a partição de inicialização, contém o rótulo padrão: '/dev/sda1' que significa sua posição como primeira partição primária no primeiro disco rígido, da mesma forma '/dev/sdb1' será a primeira partição primária no segundo disco rígido.

A próxima partição primária terá sda2, depois sda3 e assim por diante, com a partição lógica começando em sda5. Isto é apenas como um particionamento Linux é estabelecido, embora atualmente exista mais um tipo de partição, que é a partição Linux LVM na qual o volume lógico é criado a partir de volumes físicos e grupos de volumes em tempo real, sem afetar diretamente o hardware subjacente.

Sistema de arquivos e partições Linux – Tipos e terminologias

Um sistema Linux simples configura 2 partições durante a instalação normal, ou seja, root ('/') (onde o sistema de arquivos é estabelecido) e swap (um espaço de armazenamento temporário que se presume ser ter o dobro da RAM por padrão, o que não é necessário).

O Bootloader geralmente é instalado na partição raiz ou na primeira partição primária. A partição estabelece a base para sistemas de arquivos que são então criados na partição, mas antes disso requer que a partição seja formatada para o tipo de sistema de arquivos a ser suportado naquela partição.

Alguns dos sistemas de arquivos suportados pelos sistemas Linux incluem:
  1. ext2
  2. ext3
  3. ext4
  4. ReiserFS
  5. xfs
  6. GORDO
  7. HPFS/NTFS/exFAT

Algumas terminologias relacionadas ao particionamento Linux:

Partição primária:

Mantém diretamente a área do disco rígido especificada em termos do primeiro e do último endereço do setor e contém uma etiqueta indicando o disco rígido onde está e seu número. Ele pode conter os arquivos de inicialização do sistema operacional ou os dados configurados pelo usuário.

Partição Estendida:

Partição que contém outras partições. A partição estendida é criada para conter várias partições lógicas. Ao contrário da partição primária, ela não pode armazenar os arquivos de inicialização do sistema operacional instalado, pois armazena e gerencia as partições lógicas.

Partição Lógica:

Após as primeiras 4 partições primárias, vêm as partições lógicas que são estabelecidas na partição estendida. Geralmente são usados para manter o sistema de arquivos conforme estabelecido pelo usuário. O espaço de troca também é configurado como uma partição lógica.

Partição Linux LVM:

A partição LVM é usada para estabelecer sistemas de arquivos criados em volumes lógicos. LVM é um acrônimo para Logical Volume Management, um recurso do Linux para criar volumes lógicos em partições em tempo real. É necessária uma partição, que contém um volume físico e vários volumes físicos são combinados para criar um grupo de volumes no qual o volume lógico é estabelecido. O Volume Lógico é então formatado para conter o sistema de arquivos.

Volume:

Um segmento formatado de espaço, que pode conter o sistema de arquivos. O volume é criado na partição para montar o sistema de arquivos e permitir que ele retenha os dados do usuário.

Como todas as operações em partições exigem modificação do tamanho do sistema de arquivos hospedado por ela, qualquer modificação, exclusão ou criação de partição exige que os sistemas de arquivos sejam cuidadosamente desmontados e copiados para evitar o risco de perda de dados.

Alguns utilitários/comandos do Linux que são úteis para operações relacionadas ao sistema de arquivos incluem:
  1. fdisk – para criar, modificar, excluir partições, incluindo criar e imprimir tabelas de partições e assim por diante.
  2. parted – executa as mesmas operações do fdisk e muitas outras também consideradas.
  3. df – exibe todos os sistemas de arquivos montados no sistema de arquivos Linux e seus pontos de montagem.
  4. mount – para montar sistemas de arquivos, diretórios, alterar o ponto de montagem de um diretório/dispositivo e todos os tipos de operações.
  5. mkfs – criação e formatação de um sistema de arquivos. Normalmente o comando é utilizado em concatenação com o tipo de formatação desejada. Como: mkfs.ext4 para formatar o sistema de arquivos com o tipo ext4.
  6. umount – para desmontar o sistema de arquivos de uma partição.
  7. GParted/QParted – GUI Parted para sistemas Gnome e KDE.
  8. Discos – Utilitário de software pré-instalado em sistemas Linux para gerenciamento de partições através de GUI.

Utilitários/comandos Linux para alterar ou modificar nomes/rótulos de partição

Os comandos para alterar ou modificar o nome/rótulo da partição dependem do tipo de sistema de arquivos dessa partição, com exceção de alguns comandos gerais.

Abaixo você pode encontrar uma lista de todos esses comandos.

1. e2label ou tune2fs

Os comandos e2label ou tune2fs usados para alterar o rótulo das partições do tipo ext2, ext3 e ext4.

e2label /dev/sda1 ROOT
OR
tune2fs –L ROOT_PART /dev/sda1

Aqui, ROOT e ROOT_PART são os rótulos a serem adicionados a /dev/sda1, que é uma partição formatada em ext4.

2. rótulo NTFS

O comando ntfslabel usado para alterar o rótulo das partições NTFS.

ntfslabel /dev/sda5 NTFS_DIR

3. Reiserfstune

O comando reiserfstune usado para rotular partições formatadas em reiserFS.

Nota: É aconselhável primeiro desmontar o sistema de arquivos antes deste comando.

reiserfstune –l HOME_PART /dev/sdb1

Onde /dev/sdb1 é a partição formatada com o sistema de arquivos reiserFS.

4. troca de mks

O comando mkswap usado para alterar o rótulo da partição SWAP.

Após desmontar o sistema de arquivos, o seguinte comando precisa ser executado para alterar o rótulo da partição swap.

mkswap -L SWAP_PART /dev/sda5

Onde /dev/sda5 é a partição formatada em SWAP.

5. rótulo exfat

O comando exfatlabel usado para alterar o rótulo da partição formatada em exFAT.

exfatlabel /dev/sda3 EX_PART

6. Alterando o rótulo de uma partição na GUI – DISKS

Disks é um utilitário pré-instalado encontrado na maioria dos sistemas Linux que apresenta GUI para executar todas as tarefas relacionadas a partições que são realizadas por fdisk e parted e ainda mais do que isso. Os discos podem ser usados para alterar o rótulo de uma partição seguindo o procedimento:

A GUI dos discos mostra todas as unidades externas e detalhes da unidade externa selecionada, incluindo partições, seus rótulos, tamanho e tipo de formatação. O primeiro passo é selecionar a partição cujo rótulo deve ser alterado, que é Partição 1 aqui, o próximo passo é selecionar o ícone de engrenagem e editar o sistema de arquivos.

Depois disso, você será solicitado a alterar o rótulo da partição selecionada.

E finalmente, o rótulo da partição será alterado.

Utilitários Linux especiais para montar partições com nomes de rótulos

1. Usando Label para carregar partição no momento da inicialização – arquivo /etc/fstab

/etc/fstab é o arquivo que é consultado na inicialização para montar as partições existentes no sistema. As partições são identificadas por padrão usando UUID conforme a entrada neste arquivo /etc/fstab.

Mas, existe outra maneira de carregar a partição, em vez daquele UUID longo, você pode simplesmente passar o rótulo dessa partição no arquivo em vez do UUID e a partir daí, seu sistema montaria as partições no sistema usando LABEL em vez de UUID.

Para carregar qualquer partição usando Label em vez de UUID, basta abrir o arquivo /etc/fstab para edição:

sudo vi /etc/fstab

O arquivo se parece com abaixo:

Aqui, a partição é reconhecida usando UUID como visto acima. Agora se você deseja que a partição seja reconhecida usando label basta editar a entrada correspondente no arquivo substituindo UUID= por LABEL=. Em seguida, salve e feche o arquivo. Na próxima inicialização, a partição será carregada usando rótulo em vez de UUID.

2. Alterando entradas de partições na tabela de partições:

Alguns comandos podem ser usados para brincar com as entradas das partições na tabela de partições e embaralhar as entradas na tabela de partições.

Esses comandos incluem:

1. gdisk

Utilitário que pode ser usado para realizar muitas operações úteis em partições, mas destacada aqui está uma de suas operações para alterar os nomes das partições.

Procedimento a seguir:

gdisk

Isso abre o gdisk e você será solicitado a inserir o disco a ser selecionado. Basta inserir o disco que deseja selecionar. '/dev/sda' para operar no primeiro disco rígido.

Em seguida, você receberá o seguinte prompt solicitando que você insira qualquer comando. Digite 'c' aqui. Você será solicitado a selecionar o número da partição cujo nome deseja editar. Digite o nome da partição e você será solicitado a inserir o novo nome. Digite o novo nome e pressione ENTER.

Command(? For help):

Em seguida, use a seguinte opção para verificar se a alteração que você fez foi concluída.

Command(? For help): p

Agora feche e saia do gdisk, salvando suas alterações.

Command(? For help): w

2. montar

Mount também pode ser usado para alterar o nome da partição. O seguinte procedimento pode ser usado aqui:

Desmonte a partição.

umount /partition

Altere o nome do diretório após desmontá-lo.

mountpoint /partition &>/dev/null || mv /partition /new_name_partition

Edite /etc/fstab e altere o ponto de montagem da partição de /partition para /new_name_partition e então remonte a partição.

mount /new_name_partition

Conclusão

Acima estão as técnicas apresentadas para alterar/modificar o nome/rótulo de partições Linux. Se você tiver outras técnicas interessantes que podem conseguir o mesmo, compartilhe conosco seus preciosos comentários.